SUASSUNA, RUBEM ALVES, JOÃO UBALDO E A ECOLOGIA

Wilson Dias

Num prazo de 5 dias perdemos Ariano Suassuna, Rubem Alves e João Ubaldo Ribeiro.
O que está acontecendo?
Que conspiração é essa, que resolvem nos deixar, todos ao mesmo tempo?
Parece que, como andorinhas, resolveram alçar vôo em bando…
Acho que isso tem a ver com a ecologia…
Porque desconfio que assim como existe uma ecologia do universo físico, deve existir uma ecologia do universo cultural, só que com uma lógica invertida.
No mundo físico o desequilíbrio acontece quando o consumo é maior que a capacidade da natureza em repor o que foi usado. No mundo da cultura, ao contrário, o desequilíbrio acontece quando não há consumo, ou ele é muito baixo.
No universo material o ideal é o consumo racional, comedido. No mundo das idéias o ideal é o consumo desenfreado, o desperdício.
Nos dois casos o desabastecimento pode ocorrer e é causado pela mesma razão: o esgotamento das fontes. No mundo material a natureza tem sido tão agredida, vilipendiada por desmatamentos, queimadas, ação predatória, falta de cuidado, poluição, etc, que está começando a negar seus recursos. Vide situação do Sistema Cantareira, de São Paulo, e tantas catástrofes naturais pelo mundo a fora. É um tipo de vingança involuntária.
No ecossistema cultural também as fontes devem ser bem utilizadas, preservadas, respeitadas, levadas em conta.
Como uma fonte de água, se não forem bem aproveitadas podem se desgastar até ao ponto de termos um desabastecimento.
Os três nomes que nos deixaram representam três das maiores fontes de pensamento e da cultura de nosso país. Mas quando vemos como eram utilizados, consumidos, aproveitados, sentimos um calafrio, pensando no futuro que nos espera. Quantos jovens, presente/futuro dessa nação, já os leram? Qual o impacto de suas idéias sobre as propostas de mundo novo que temos disponíveis?
Vivemos uma sinédoque perversa em que confundimos os meios com os fins. Toda a parafernália eletrônica criada nos últimos tempos, que poderia (e deveria) ser utilizada como instrumento de disseminação e circulação de idéias, acabou sendo confundida com a própria cultura. A posse dos equipamentos e aplicativos passou a significar status, mas se formos ver as idéias que disseminam…
Por isso a preocupação: se não utilizarmos as nossas fontes de cultura, se não as disseminarmos, corremos o risco de vê-las definhar até sumir.
Acho que Ariano Suassuna, Rubem Alves e João Ubaldo não morreram por causa de suas idades ou de doenças. Morreram por falta de uso.

Sobre Wilson Xavier Dias