UMA NEBLINA CHAMADA OSIMAR

“Sois, apenas, com uma neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” – Tiago 4:14b.

Alvimar, seu irmão gêmeo, comunicou-me ontem por telefone que a situação de saúde de Osimar é gravíssima, e que, provavelmente, ele parta dentro de um mês. Está na UTI do Hospital São Marcos em Teresina. Curvei-me diante de Deus intercedendo por ele, e lembranças desse grande irmão me afloraram a mente.

Lembro-me dele adolescente brigando com outros rapazinhos do Geti instigado pelo nosso irmão mais velho Delile. Vejo-o depois como um grande namorador em Corrente, Parnaguá e Curimatá, e depois como orador inflamado e eloquente. Osimar é o 6º filho dos onze de Julio Borges de Macedo e Arquimínia Guerra de Macedo. Três irmãos já partiram: Enir, ainda pequenina, Alírio em 1990, Estelita em 2012, e oito estão aqui: Delile, Carlyle, Enir (Nizinha), Alvimar, Osimar, Lair, Julio Filho e Nilce.

Acompanhei-o em suas crises e na construção de sua grande família com Eliete. Três filhos, duas mulheres e um homem (Carla, Alvimar Sobrinho e Andreia). As duas filhas são casadas com Eder e Francisco. Vieram os netos num total de sete (Lucas, Luana, Eder II, Victória, Victor. Julia e Isabelle) para alegrar sua vida de grande pai e grande avô. É um patriarca coruja que acompanha os filhos e netos com carinho extremado.

Político, trouxe para Curimatá o CNEC – Conselho Nacional de Escolas da Comunidade. Na fundação do município de Julio Borges, liderou a campanha para a criação do município que ganhou o nome do nosso saudoso pai em histórico plebiscito, e só não foi seu primeiro prefeito devido à sua precária saúde. A Câmara de Vereadores do município deseja lhe conceder o título de Cidadão Honorário de Julio Borges.

Estive duas vezes com ele em Luiz Correia onde adquiriu uma bela casa próxima à praia de Atalaia. Não me deixava pagar nada e andava com os bolsos cheios de dinheiro. Quando morei em Teresina eu era confundido com ele. Um taxista filho de uma ovelha disse à sua mãe que tinha visto o pastor dela bebendo num bar. Era ele.

Em trânsito por este mundo ele deixou sua marca de serviço, de hospitalidade, de alegria de criança, de grande irmão e cidadão. Partindo, continuará vivendo através da esposa, filhos e netos. Ele foi como uma vela: consumiu-se a si mesmo para iluminar outros.

A que compararei o meu grande irmão? Tiago 4:14 me responde: “Sois, apenas, com uma neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” Uma neblina chamada Osimar, bela, passageira, anunciadora do tempo, fertilizando a terra e simbolizando o céu. Irá completar 74 anos no dia 21 de junho próximo. Chegará lá? Oro a Deus por um milagre para que possamos ver de novo o seu sorriso simpático e contagiante.

 

Brasília, 11 de abril de 2015

Julio Borges Filho – irmão

Tags:
Júlio Borges de Macedo Filho

Sobre Júlio Borges de Macedo Filho

PASTOR JULIO BORGES DE MACEDO FILHO Piauiense de Curimatá, 72 anos com 48 de pastorado, filho de Julio Borges de Macedo e Arquimínia Guerra de Macedo, é o sétimo filho de uma família de onze irmãos. Casou-se, há 48 anos no dia de sua ordenação ao ministério pastoral, com a professora Gislene Rodrigues Lemos de Macedo e tiveram quatro filhos: Juliene, Jusiel (falecido), Julinho e Julian. Agora Deus lhe deu a primeira neta chamada Sarah, de apenas 8 anos. Concluiu o curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, em Recife. Formou-se em 1969 e foi ordenado ao ministério pastoral no dia 22 de fevereiro do mesmo ano. Pastoreou as seguintes igrejas: Igreja Batista do Rio Largo – AL (1969 a 1972), Primeira Igreja Evangélica Batista de Teresina – PI (1972 a 1978), Primeira Igreja Batista de Ilhéus – BA (1978 a 1979), Terceira Igreja Batista do Plano Piloto – Brasília (1979 a 1989), Igreja Batista Noroeste de Brasília (interinamente em 1985), Primeira Igreja Batista de Curimatá – PI (interinamente em 2000), e desde 1989, a Igreja Cristã de Brasília. Tomou a iniciativa para a organização das seguintes igrejas: Primeira Igreja Batista de Picos –PI, Igreja Batista do Lago Norte – Brasília, Igreja Batista Noroeste de Brasília (hoje, Igreja Batista Viva Esperança), e a Igreja Cristã de Brasília. Ordenou cerca de 20 pastores e uma pastora, consagrou dezenas de diáconos e diaconisas por onde passou, e celebrou mais de 500 casamentos. É considerando no Distrito Federal um pastor de pastores. Líder denominacional foi presidente da Convenção Batista Alagoana, da Convenção Batista do DF (três vezes), do Conselho de Pastores Evangélicos dos DF (duas vezes); participou de vários organismos batistas como o Conselho de Planejamento e Coordenação da Convenção Batista Brasileira, das juntas administrativas do Seminário Teológico Batista Equatorial e do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil; e por 20 anos foi professor da Faculdade Teológica Batista de Brasília ensinando as seguintes disciplinas: Estudos de problemas brasileiros, ética cristã, teologia pastoral, teologia contemporânea, ministério urbano, teologia bíblica do Antigo Testamento, e homilética. Como teólogo produziu muitos artigos, teses, e palestras nos mais diferentes lugares, e participou de muitos congressos, seminários, fóruns, retiros, entre eles o Congresso Internacional Lousane II realizado em Manila, Filipinas em 1989. Foi orador de várias assembléias convencionais, e pregou em muitos congressos e igrejas por todo o Brasil. Como poeta e escritor já gestou e publicou cinco livros (Missão da Igreja e responsabilidade social, Voando nas asas da fé, Um sonho coberto de rosas, Suave perfume, e Uma grande mulher), tem quatro prontos para publicação, e está grávidos de mais dez livros que espera escrever e publicar nos próximos oito anos. Na área política assessorou deputado Wasny de Roure, por muitos anos, tanta na CLDF como na Câmara dos Deputados; assessorou por pouco tempo os deputados distritais Peniel Pacheco e Arlete Sampaio; o Ministro da Educação, Cristovam Buarque, como chefe da Assessoria Parlamentar do MEC, e depois assessor parlamentar do Senador Cristovam Buarque. Nesta área produziu muitos escritos sobre os evangélicos e a política, fez inúmeras palestras, promoveu muitos seminários, e foi fundador e coordenador de vários fóruns, entre eles o Fórum Político Religioso do PT, o Fórum Religioso de Diálogo com GDF, o Fórum Cristão do PT Chegou a Brasília em junho de 1969 e, desde então, a elegeu como sua cidade do coração. Agora, aposentado, deseja dedicar-se a apenas duas atividades essenciais: pastorear graciosamente a Igreja Cristã de Brasília e Brasília, e escrever apaixonadamente. Sua grande ênfase ministerial tem sido o amor cristão, a graça maravilhosa de Deus revelada em Jesus Cristo, a responsabilidade social das igrejas e dos cristãos, e o ministério urbano da igreja.