ICB: UM MILAGRE DE DEUS

(Um breve esboço histórico – 1989 a 2014)

Julio Borges Filho

A existência de nossa igreja é um milagre. Precisamente no dia 1º de outubro de 1989 ela foi organizada optando por ser uma igreja desinstalada, sem templo, uma Caverna de Adulão para abrigar as pessoas em crises existenciais. Passou por várias fases: o início feliz e fecundo, a fase alegre da juventude, a fase reflexiva intelectual, fase da preservação do sonho e, agora, sua nova fase com novo pastor,  mas sempre focada em sua missão coração de Brasília. Deus a sustentou sempre com um “resto” fiel.

Hoje alegramo-nos diante de Deus pelos seus 25 anos, Jubileu de Prata. É uma jovem e pequenina igreja comprometida com sua missão na capital do Brasil. Segue abaixo um breve resumo de sua história.

 

 O início pioneiro

A Igreja Cristã de Brasília nasceu no dia 01 de outubro de 1989. Surgiu, fruto da visão do Pastor Julio Borges de Macedo Filho que, na época, deixou o pastorado da Terceira Igreja Batista do Plano Piloto  para investir numa comunidade comprometida com o ministério urbano e inspirada no sonho de Jesus Cristo conforme sua oração sacerdotal registrada no Evangelho de João, capítulo 17. Cerca de 25 membros da Terceira Igreja o acompanhou com pleno conhecimento dela. Antes de sua organização, cerca de 30 irmãos estudaram e refletiram sobre a Base Constitutiva da Igreja, os Estatutos, o nome, etc. Isso de abril a setembro de 1989.

Dois nomes foram apresentados: Igreja Batista do Futuro em Brasília e Igreja Cristã de Brasília. Por unanimidade este último foi escolhido por se adaptar mais a abertura proposta. Líderes da Convenção Batista do DF e da Convenção Batista Brasileira insistiram amorosamente para que a nova igreja fizesse parte das igrejas batistas filiadas a elas. O grupo decidiu que isso só iria constranger as convenções e à nova igreja que se propunha ser aberta como um laboratório eclesiástico e manter diálogo aberto com todas as denominações. Após três meses de estudos em João 17, foi elaborada a Base Constitutiva da ICB. Ei-la:

 IGREJA CRISTÃ DE BRASÍLIA: BASE CONSTITUTIVA

  (Uma Igreja local e autônoma no Coração do Brasil)

 

  1. Comprometida com o Projeto Original de Jesus Cristo para sua Igreja conforme João 17.
  2. Centrada na missão urbana da Igreja à luz do reino de Deus.
  3. Voltada para os mais pobres e os mais marginalizados de Brasília, sem, no entanto, fazer acepção de pessoas, e reconhecendo que as necessidades humanas são prioritárias na economia divina.
  4. Democrática em seu governo afirmando o sacerdócio de todos os crentes e a soberania de Cristo.
  5. Liturgia informal e participativa com hinologia brasileira, mas valorizando o que de melhor temos em nossa herança litúrgica e musical.
  6. Membresia plenamente comprometida como o Reino de Deus e com o ministério da Igreja.
  7. Sem templo, mas com sede no centro de Brasília e com núcleos e células espalhados por toda a cidade.
  8. Aberta teológica, doutrinária e eclesiasticamente, não institucional, procurando, dentro do seu contexto, recuperar a dimensão revolucionária e missionária da Igreja Primitiva reafirmada no melhor da herança cristã através dos séculos.
  9. Não se preocupará em organizar outras igrejas, mas inspirará o surgimento de outras semelhantes a ela nas principais cidades do Brasil que sirvam de modelo alternativo de igreja.
  10. O meios do seu ministério urbano serão projetos ou programas constantemente avaliados e aperfeiçoados na diversidade dos dons concedidos pelo Espírito Santo à Igreja.

Em suma, um sinal do Reino de Reino de Deus no mundo, praticando a justiça do Pai, vivendo a paz do Filho, e experimentando a alegria do Espírito Santo – Romanos 14:17.

 

  A organização

O culto de organização, às 17 horas do dia 01 de outubro de 1989, no auditório da Edifício da Bíblia (603 Norte) com 30 membros fundadores (oriundos da 3º Igreja Batista do Plano Piloto, da 1ª Igreja Batista da Sobradinho, da Segunda Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte, e da Igreja Batista do Barro Novo em Belo horizonte)  e com a presença de 14 pastores, diáconos e presbíteros de igrejas batistas e presbiterianas de Brasília. O auditório estava lotado. O culto, dividido em três partes representando as dimensões da igreja (verticalidade/Adoração, horizontalidade/missão, e profundidade/consagração), teve como pontos altos o memorável sermão do Pastor Noé Stanley Gonçalves que, vindo trabalhar a interioridade da futura igreja, decidiu fazer parte da mesma como membro fundador, e a oração consagratória da nova igreja feita pelo Pastor José Florêncio Rodrigues Jr, então pastor da Igreja Batista Internacional de Brasília.  “Novas Palavras” foi o tema do sermão baseado em Gênesis 2:4-8 e Atos 2:1-13 que tornou-se um dos documentos originais da igreja. Na oração consagratória, os membros fundadores se ajoelharam, os pastores, diáconos e presbíteros impuseram as mãos sobre nós, e Pr. José Florêncio Rodrigues Jr orou e a nova igreja respondeu cantando “Em minha vida vem criar, Senhor, um coração igual ao teu”. O primeiro Ágape Fraterno aconteceu logo após no hall de entrada do auditório com um grande bolo e salgadinhos e refrigerantes. Tudo era alegria e comunhão. Mais tarde a igreja considerou membros fundadores as pessoas que chegassem durante os três primeiros meses após a organização.

A s  f a s e s

  1. Os primeiros anos – 1989 a 1994 – Os primeiros 05 anos da ICB teve como pastor-presidente o Pastor Julio Borges de Macedo Filho. A igreja se reuniu em vários espaços da cidade: duas escolas classes na Asa Sul (102 e 408), na residência pastoral na 704 Sul Bloco K casa 29 e, finalmente na Catedral da Ressurreição da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil na 709/710 Sul. Organizou-se quatro núcleos da igreja; dois no Plano Piloto (Asa Norte e Asa Sul), um em Sobradinho e outro em Taguatinga. Destaca-se neste período: 1) A ordenação do Pastor Noé Stanley Gonçalves em 06 de outubro de 1991 na Catedral da Ressurreição por Concílio de Pastores de várias igrejas evangélicas, tendo o Pastor Julio feito o exame e o Bispo Almir dos Santos, da igreja Anglicana, a cerimônia de ordenação; 2) a vinda de Noé Stanley para Brasília assessorando do Dep. Distrital Wasny de Roure; 3) o trabalho social na Vila Planalto que resultou na organização da associação de moradoras local; 4) a fidelidade total da membresia que sustentava condignamente seu pastor; 5) os cultos informais e alguns ambulantes pelo centro da cidade; 6) a realização de simpósios sobre Ministério Urbano juntamente com Visão Mundial; 7) a doação da sala-sede no SDS para uso da igreja por Alzemira e Maria Isabel Miranda de Araujo; 8) a viagem do Pr. Julio a Manila nas Filipinas para participar do Lousanne II, o Congresso Mundial; 9) a chegada de muitos jovens vindos de Sobradinho (especialmente da 2ª igreja Presbiteriana) com a recomendação do Pastor José Augusto Pedra trazendo muita alegria e dinamismo à igreja; 10) os primeiros batismos num total de sete; 11) o início do trabalho ecumênico “Oração e Cultura” com a participação de nossa igreja, da igreja Anglicana, da Igreja Presbiteriana Unida do Lago Norte, e da Igreja Metodista da Asa Sul; 12) o funcionamento do Conselho de Pastores ICB (eu, o Pr. Noé Stanley e o Pr. Roberto Krauspenhar) e a organização da igreja em ministérios com envolvimento de toda membresia; 13) lançamento três manifestos da igreja sobre o contexto político e social do Brasil.
  2. A fase jovem da igreja (1994 a 1998) – Sob o pastorado do Pastor Noé Stanley Gonçalves, esta fase foi uma fase festiva e alegre e de intensa atividade cultural. Além da “Oração e cultura”, foi montada a Capela Cultural que era um sonho do Pr. Noé. Muitos talentos foram revelados. Também entrou na igreja um grupo vindo, principalmente das igrejas batistas e da Assembléia de Deus a ponto da ICB ter em seu rol de membros oito pessoas com formação teológica. Este grupo gerou a seguir uma nova fase na história da igreja.
  3. A fase intelectual da ICB (1998 a 2000) – Foi uma breve fase sob a liderança de Ruy Siqueira. Uma fase leiga pois os pastores se afastaram com cerca de 17 pessoas que pouco a pouco foi se fechando em si mesmas impedindo a entrada de outros, e depois foi diminuindo até que houve um desinteresse quase total a ponto dos líderes convocarem uma reunião e me convidarem. Não gravei a data precisa dela, mas lembro-me que foi em junho de 2000 em nossa sala. Após uma longa discussão, um querido irmão propôs que se devolvesse o projeto da igreja ao seu fundador para a continuidade do mesmo. Constrangido, aceitei. Todavia essa fase deixou um legado belíssimo: 1) a publicação de duas revistas (Teologia e Cultura e Ethos), 2) promoção de seminários de discussão e encontros culturais; e 3) deu apoio psicológico ao Desafio Jovem de Brasília.
  4. A fase de preservação do sonho (2000 a 2014) – O retorno do Pastor Julio trouxe de volta dois outros pastores: Noé Stanley e José Augusto Pedra, e um pequeno grupo que foi se renovando até se consumar no grupo atual. Destaca-se nesta fase: 1) A ordenação do Pastor Nilson Pereira de Moura ao Ministério Pastoral em 09 de dezembro de 2001 na Catedral da Ressurreição da Igreja Anglicana; 2) o batismo de Reijane Benevides Linhares, esposa do Pastor Nilson; 3) a ordenação da Pastora Rivane Lucena Melo Pedra ao Ministério pastoral em 04 de dezembro de 2010 na Catedral Anglicana de Brasília; 4) a reativação da sala-sede da igreja; 5) o lançamento de dois manifesto sobre a conjuntura política, social e religiosa (Por um Mundo mais humano e Prudência e simplicidade); 6) a criação do site igrejacristadebrasilia.com.br ; 7) a abertura do trabalho social de Santa Maria; e 8) a vinda do Pastor José Carlos de Souza Santos para a igreja. Vale a pena ressaltar que muitos casamentos foram celebrados durante a história de nossa igreja. A maioria celebrados pelo Pastor Julio, outros em parceria com os pastores da igreja. Ressalta-se também que cerca de 200 pessoas passaram pela nossa igreja e estão espalhado em outras igrejas de Brasília e de outros estados brasileiros.
  5. Um momento novo (2014 a ______) – Hoje, 28 de setembro de 2014, inicia-se um novo período de nossa igreja que, espero, seja um período de crescimento numérico preservando a mesma qualidade do pequeno e maduro rebanho atual.

A minha saída do pastorado de nossa igreja é definitiva. Minhas prioridades agora é pastorear informalmente (tenho um imenso rebanho em Brasília e em outros Estados do Brasil) e escrever apaixonadamente por estar grávido de doze livros. Desejo, a partir do próximo ano, escrever e publicar dois livros por ano. A ICB está em boas mãos e o grupo atual é maduro para ajudá-lo. Continuarei na Igreja à disposição do novo pastor e dos amados irmãos.

Júlio Borges de Macedo Filho

Sobre Júlio Borges de Macedo Filho

PASTOR JULIO BORGES DE MACEDO FILHO Piauiense de Curimatá, 72 anos com 48 de pastorado, filho de Julio Borges de Macedo e Arquimínia Guerra de Macedo, é o sétimo filho de uma família de onze irmãos. Casou-se, há 48 anos no dia de sua ordenação ao ministério pastoral, com a professora Gislene Rodrigues Lemos de Macedo e tiveram quatro filhos: Juliene, Jusiel (falecido), Julinho e Julian. Agora Deus lhe deu a primeira neta chamada Sarah, de apenas 8 anos. Concluiu o curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, em Recife. Formou-se em 1969 e foi ordenado ao ministério pastoral no dia 22 de fevereiro do mesmo ano. Pastoreou as seguintes igrejas: Igreja Batista do Rio Largo – AL (1969 a 1972), Primeira Igreja Evangélica Batista de Teresina – PI (1972 a 1978), Primeira Igreja Batista de Ilhéus – BA (1978 a 1979), Terceira Igreja Batista do Plano Piloto – Brasília (1979 a 1989), Igreja Batista Noroeste de Brasília (interinamente em 1985), Primeira Igreja Batista de Curimatá – PI (interinamente em 2000), e desde 1989, a Igreja Cristã de Brasília. Tomou a iniciativa para a organização das seguintes igrejas: Primeira Igreja Batista de Picos –PI, Igreja Batista do Lago Norte – Brasília, Igreja Batista Noroeste de Brasília (hoje, Igreja Batista Viva Esperança), e a Igreja Cristã de Brasília. Ordenou cerca de 20 pastores e uma pastora, consagrou dezenas de diáconos e diaconisas por onde passou, e celebrou mais de 500 casamentos. É considerando no Distrito Federal um pastor de pastores. Líder denominacional foi presidente da Convenção Batista Alagoana, da Convenção Batista do DF (três vezes), do Conselho de Pastores Evangélicos dos DF (duas vezes); participou de vários organismos batistas como o Conselho de Planejamento e Coordenação da Convenção Batista Brasileira, das juntas administrativas do Seminário Teológico Batista Equatorial e do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil; e por 20 anos foi professor da Faculdade Teológica Batista de Brasília ensinando as seguintes disciplinas: Estudos de problemas brasileiros, ética cristã, teologia pastoral, teologia contemporânea, ministério urbano, teologia bíblica do Antigo Testamento, e homilética. Como teólogo produziu muitos artigos, teses, e palestras nos mais diferentes lugares, e participou de muitos congressos, seminários, fóruns, retiros, entre eles o Congresso Internacional Lousane II realizado em Manila, Filipinas em 1989. Foi orador de várias assembléias convencionais, e pregou em muitos congressos e igrejas por todo o Brasil. Como poeta e escritor já gestou e publicou cinco livros (Missão da Igreja e responsabilidade social, Voando nas asas da fé, Um sonho coberto de rosas, Suave perfume, e Uma grande mulher), tem quatro prontos para publicação, e está grávidos de mais dez livros que espera escrever e publicar nos próximos oito anos. Na área política assessorou deputado Wasny de Roure, por muitos anos, tanta na CLDF como na Câmara dos Deputados; assessorou por pouco tempo os deputados distritais Peniel Pacheco e Arlete Sampaio; o Ministro da Educação, Cristovam Buarque, como chefe da Assessoria Parlamentar do MEC, e depois assessor parlamentar do Senador Cristovam Buarque. Nesta área produziu muitos escritos sobre os evangélicos e a política, fez inúmeras palestras, promoveu muitos seminários, e foi fundador e coordenador de vários fóruns, entre eles o Fórum Político Religioso do PT, o Fórum Religioso de Diálogo com GDF, o Fórum Cristão do PT Chegou a Brasília em junho de 1969 e, desde então, a elegeu como sua cidade do coração. Agora, aposentado, deseja dedicar-se a apenas duas atividades essenciais: pastorear graciosamente a Igreja Cristã de Brasília e Brasília, e escrever apaixonadamente. Sua grande ênfase ministerial tem sido o amor cristão, a graça maravilhosa de Deus revelada em Jesus Cristo, a responsabilidade social das igrejas e dos cristãos, e o ministério urbano da igreja.