O desafio de Brasília para a missão da Igreja

Diálogos urbanos 1:  D E S A F I O S  D E  B R A S Í L I A

O primeiro diálogo, com a participação especial do Deputado Distrital Wasny de Roure, aconteceu no domingo 11 de novembro de 2012, às 19:15 horas, na sala ICB no SDS Edf. Venâncio III sala 114, em Brasília, com a presença das seguintes pessoas: Pr. Julio, Gislene, Pr. Pedra, Pra. Rivane, Pr. Nilson, Reijane, Priscila (fotógrafa mirim), Wilson, Melquisedeque, Chico (Carlos Marcos), Raquel, e o Pr. José Carlos. Teve a seguinte programação:

 

MOMENTOS DEVOCIONAIS

  1. Palavra de acolhida pelo Pr. Julio apresentando o preletor e dando boas vindas a todos.
  2. Intróito bíblico: Salmo 122 pelo irmão Melquisedeque.
  3. Cânticos dos hinos “Tu és fiel, Senhor” e “Ele é o Senhor”.
  4. Oração pela cidade pelo Pr. José Augusto Pedra.
  5. Responso “Deus está aqui”
  6. Reflexão bíblica: “…O nome da cidade será: O Senhor está ali (Javé-Shamá)” pelo Pr. Julio Borges Filho.
  7. Hino “Jesus Cristo, esperança do mundo”

 

PALESTRA DO DEPUTADO WASNY: DESAFIOS DE BRASÍLIA

 

Pano de fundo – O início da cidade regado de sonhos de esperança, especialmente para nordestinos, transformando Brasília em síntese da nação Brasileira. Grandes nomes foram essenciais: O presidente JK, Lúcio Costa, Oscar Niemayer, Israel Pinheiro, etc. Hoje Brasília é uma metrópole sendo a terceira cidade do país trazendo desenvolvimento para o Centro Oeste e despertando a fronteira agrícola do cerrado. A presença da igreja foi marcante desde o início. Um exemplo disso foi a presença dos menonitas em Rio Verde-GO desenvolvendo a plantação de soja. Para além do planejamento urbano, sugiram assentamentos não planejados que hoje são cidades satélites promissoras como Samambaia. Cheguei aqui com meus pais e irmãos em 1959, portanto, sou pioneiro, tendo a primeira moradia no Núcleo Bandeirante então Cidade Livre.

 

  1. Apaixonados por Brasília – Só com tal paixão e comprometimento poderemos construir uma cidade mais justa e mais humana enfrentando seus grandes desafios. Eis os principais:
  2. Formatar o seu povo – Somos atacados como a cidade das mordomias, dos escândalos e da corrupção, e como terra de preguiçosos. Devemos defender nossa cidade e amá-la profundamente exaltando suas virtudes.
  3. Temos a maior renda per capita do Brasil – Isso tem provocado o consumismo e uma cultura de licenciosidade. Aqui troca-se de carro rapidamente e sem necessidade, viaja-se muito para o exterior.
  4. A corrupção dos tempos passados é sistêmica. Contaminou várias áreas. O escândalo “Caixa de Pandora” vem de governos passados e ainda permeia o governo e a sociedade.
  5. A questão da terra gerou o maior contencioso de irregularidades do país. As irregularidade contaminou o PRO-DF. A maioria dos condomínios residenciais são irregulares. O grilheiros atuam astutamente. O governo federal tem sido pródigo com o DF doando suas terras à TERRACAP, o que é 49% das terras públicas. Tudo para combater as irregularidade e beneficiar os mais pobres com moradia condigna.
  6. As empresas públicas estão em crise. É o caso da CEB  e da CAESB. O Metrô está se modernizando para garantir seu auto-funcionamento sem subsídios do governo.
  7. O atual governador tem sua maneira peculiar de governar com uma ampla aliança e apoio da Câmara Legislativa. A maior licitação do Brasil está sendo feita para revolucionar o transporte público. Corredores expressos estão sendo construídos para melhorar o trânsito. A saúde está melhorando, a UnB está se expandindo com seus três novos campus nas cidades satélites, mas o calendário da educação está atrasado. A situação política está confusa: o atual governador quer a reeleição, mas a esquerda está dividida e a direita se articula em busca de palanque para a próxima eleição presidencial.

 

D E B A T E

  1. Pr. José Carlos levantou a questão das casas de recuperação de dependentes químicos. O Dep. Wasny responder que isso é um grande desafios para as igrejas e que há iniciativas interessantes e destacou  uma em Planaltina.
  2. Pr. Julio foi tocado com três desafios missionários:
  1. A formatação do povo na defesa de Brasília;
  2. O combate profético à cultura de licenciosidade gerada pela mais alta renda per capita do país;
  3. E o combate  com exemplo ético e voz profética à corrupção sistêmica.

Wasny responde que o julgamento do mensalão será um divisor de águas no combate à corrupção sistêmica no Brasíl. E bom que aconteceu com o partido que mais sustentava a moralidade pública.

  1. Wilson chamou a atenção para o salto da educação sem a qual não há pleno desenvolvimento. Educação é o grande investimento, salientou. E como o deputado vê o problema já que mencionou que o calendário de educação no DF está atrasado? A Pra. Rivane aparteou defendendo a participação das igrejas evangélicas na área. O Dep. Wasny respondeu que há avanços na educação, mas que o caminho é lento e contínuo. Há grande investimentos do governo federal na área e busca-se recursos do pré-sal para tanto.
  2. Pr. Pedra disse estar satisfeito por reencontrar Wasny e que a palestra o atualizou com a cidade e seus desafios. Citou o bom material educativo produzindo pela Sociedade Bíblica do Brasil. O clamor por Brasília deve atingir as igrejas, e como as igrejas podem participar na educação? Wasny respondeu que há escolas públicas que são padrão e citou o caso de uma no final da Asa Norte, mas carece de um melhor relacionamento entre diretora e professoras. A Igreja pode ajudar na formação de pessoas através de seminários, apoiando as iniciativas e respeitando o fato das escolas serem laicas. Isso, todavia, não impede nossa participação criativa e ousada.
  3. Pr. Nilson salientou que o Estado é moroso em suas decisões e ações e, às vezes, omisso. O Estado falha como gestor. Citou o caso do abandono dos condomínios como o que ele mora. Criticou o atual governador como um bipolar, e disse que rompeu com Wasny na reforma de previdência em sinal de protesto. O deputado respondeu começando pelas irregularidades dos condomínios que demora a ação governamental e salientou que se não participarmos organizadamente dos conselhos das administrações regionais e de outros conselhos, perderemos o bonde da história.
  4. Chico (Carlos Marcos) levantou o exemplo de Salvador, uma das primeiras cidades brasileiras sendo a primeira capital, e perguntou: O que fazer para que Brasília não repita os mesmos erros da cidades mais antigas na distribuição de renda, na melhoria do trânsito, etc? Wasny respondeu sobre as novas iniciativas do governo sobre a maior licitação do Brasil, envolvendo bilhões de dólares, para revolucionar o transporte público, as vias expressas para ônibus, a ampliação do metrô, e o desenvolvimento fora do Plano Piloto, e que pensar Brasília daqui a 20 e 30 anos é necessário. Concluiu dizendo que Brasília não espera. Temos de ser rápidos em nossas ações para fazermos parte da história da cidade. Sugeriu convidarmos Alexandre, ex-ABU, e atualmente assessor do Ministro Gilberto Carvalho, para um debate. Os desafios são maiores do que imaginamos. Além do desenvolvimento da cidades satélites, ainda temos o desafio do Entorno. A metrópole não espera.

 

ENCERRAMENTO

  1. De mãos dadas cantamos “Momento Novo” e o Pr. José Carlos orou pela cidade, pelo Dep. Wasny, e pelas demais autoridades da cidade e do país.
  2. O papo continuou no farto Ágape Fraterno. Era quase 22 horas quando saímos da sala ICB.

REPERCUSSÃO

Comentário da Pastora Rivane Pedra

Excelente Debate politico-economico e acrescentou informações primordiais para as estratégias de nosso Ministerio diante de Deus, dos homens e das cidades. Estou muito honrada em participar de grupo tão seleto de pessoas que Deus separou para si e Ele mesmo treinou. Muito me ajudou ver que a amada Igreja Cristã de Brasilia está além do seu tempo, e ter soluções oriundas de idéias estabelecidas numa reunião tão singular que certamente tratou de temas relevantes para o Reino de Deus e a salvação das cidades. Fiquei impressionada como tantos assuntos foram de modo profundo tratados e ver que todos estão de alguma forma envolvidos nas liderancas da nossa capital de maneira direta e indireta. Temos lideres sublimes no cenário local e nacional e podemos, em tão pouco tempo, ver as declaracões e preocupacões com o nosso povo e seus sofrimentos e apelos sociais tão vivos em nosso tempo.

Não vimos aquele assistencialismo ou venda de pessoas e sim compromisso sério com o movimento de evangelização da nossa amada Brasília.

Vibrei com a realidade exposta do governo e dos governos e as falhas nos sistema administrativo que promovem tantos sofrimentos e como podemos, com visão clara, sugerir e buscar soluções para os menos favorecidos que, inclusive, não estão longe, aqui mesmo em “Samaria”, e não precisamos partir para toda a “Judeia” sem resolvermos aqui primeiramente. Em tudo amando e cuidando do próximo e de si mesmo  entregando-se ao exercício pleno da cidadania e do AMOR A CRISTO EM PRIMEIRO LUGAR.

A opinião de jovens quando apresentaram preocupacão em trabalharmos na formatação da nossa cidade no sentido de pensarmos na formacão sólida de caráter ético e VIDA COM DEUS, evitando que daqui a algumas décadas vejamos o quanto fomos irresponsáveis se não agirmos em prol dos nossos herdeiros e descendestes para herdarem uma cidade forte em amor a Cristo, e não um exemplo como outras cidades que são históricas, mas nada acrescentaram em populacão ativa para a divulgacão do MINISTERIO URBANO.

Estou plenamente certa que aquEle que começou a boa obra em nós estará completando nossos dias com sabedoria para vivermos de modo que edifiquemos criativamente a boa obra de Jesus para as cidades.

Penso que o irmão Jose Carlos deveria cadastrar-se junto à ONG que foi indicada pelo próprio parlamentar se ele quer trabalhar com o movimento de combate e apoio ás vítimas de drogas e substâncias viciantes, pois assim, conforme ele mesmo orientou, o ganho institucional é de acordo com o número de viciados recolhidos e ele poderá estrategicamente ver estes encaminhamentos para essa CASA DE RECUPERACAO que o Deputado citou que é coordenada  por evangélicos.

Ao mesmo tempo, mesmo cansada, penso que podemos ver o oficio do lote para nossa ICB no setor Noroeste, quem sabe mais tarde poderemos colocar nossos pastores para ministrarem numa faculdade e outras dependências da Igreja como professores de um evangelho pleno, sem vício e guiado por um nome tão memorável que tem marcado nossas historias, o do Pastor Julio Borges Filho.

Um fraterno abraço de agradecimento a todos os familiares e de um modo carinhoso na nossa linda e maravilhosa, sábia, que permanece com um brilho jovem de alegria que vem do Espirito Santo em suas músicas e na ministracão do seu lar, refletido em uma igreja forte como a ICB. Refiro-me a Gil.

“A cada um foi dado segundo o proposito de Deus”

Sobre Igreja Cristã de Brasília