O Senhor Servo

EVANGELHO DE JOÃO: VIDA PARA A CIDADE – Pastor Julio Borges Filho

Sermão 10: O  S E N H O R  S E R V O  –  João 13:1-17

Introdução:

– No sermão introdutório desta série dividi o Evangelho de João em três partes: O Prólogo (cap. 1), O Livro dos Sinais (Caps. 2 a 11), e o Livro da Paixão (Caps. 12-21. Disse também que João colocou o prefácio de seu livro no final, 20:30 e 31, e que ele escreveu para evangelizar a cidade de Éfeso onde foi pastor por muitos anos.

– Na primeira parte do Evangelho, O Livro dos Sinais, preguei sobre os sete sinais que constituem uma apresentação perfeita de Jesus Cristo como Senhor: O Senhor da qualidade, 2:1-11; O Senhor da distância, 4:46-54; O Senhor do tempo, 5:1-18; O Senhor da quantidade, 6:1-15; O Senhor da natureza e das circunstâncias adversas, 6:16-21; O Senhor das questões filosóficas, 9; e O Senhor da vida e da morte, 11:1-46.

– Agora vamos entrar no Livro da Paixão começando com uma contradição fundamental ao Evangelho e à Igreja. Sim, Jesus Cristo é o Senhor, mas o Senhor servo. Com humildade penetremos no texto de João 13:1-17 que descreve a cena do lava-pés, e descubramos, no gesto didático de Jesus na véspera de sua morte, as lições essenciais à vida e à fé cristã.

I. Pano de fundo:Três afirmações sobre Jesus, vrs. 1-3

1. Ele sabia que era chegada a sua hora…, v. 1

– A hora para a qual ele veio ao mundo, a hora de passar deste mundo para o         pai.

– Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.

2. Ele sabia que seria traído por Judas, v. 2

– A traição é ação maligna do diabo no coração de Judas.

 

– Era o momento da instituição da Ceia do Senhor. Judas também foi amado.

 

3. Ele sabia que tudo foi confiado em suas mãos pelo Pai, v. 3

– O Senhor de todas as coisas

 

– Veio de Deus e voltava para Deus

 

II. A cena do lava-pés: O Senhor servo, vrs. 4-11

  1. 1. Escravo do amor, vrs. 4 e 5

  1. 2. O lavado essencial, vrs. 6-11

III. A realeza do serviço: compreendeis o que vos fiz?- vrs. 12-17

  1. 1. O caminho do servo

– As tentações de Jesus foram para desviá-lo deste caminho

. 1ª tentação: Uma economia que vencesse a fome e conquistasse o mundo pelo estômago.

 

. 2ª tentação: Meios de comunicação sensacionalistas que o transformasse num rei popular e manipulador.

 

. 3ª tentação: Domínio total sobres as instituições que o transformaria num ditador universal.

 

Eu, quando for levantado da terra, a todos atrairei a mim.

  1. 2. O poder é para servir

– A deturpação do poder: Para dominar gerando opressão, para si mesmo gerando corrupção. O deus deles é o próprio poder – Hc 1:11b

 

No meio de vós eu sou como quem serve – É a lei da vida

. Deus é um Deus que serve – Is 64:4.

. Lutero: Nenhuma árvore produz frutos para si mesmo, mas par os outros. Somente o maligno e os homens dominados pelo mal pensam só em si mesmos.

. Che Guevara: Quando um homem pensa 10% só em si mesmo, tem 90% de possibilidade de ser desonesto.

 

Conclusão:Desafios para a Igreja

– Quando a Igreja se apega ao poder e ao dinheiro, trai a Cristo, e é dominada pelo mal tornando-se irrelevante para o mundo.

– É lavando os pés uns dos outros que aprendemos o caminho da humildade e nos tornamos servos da humanidade. Lutero: O cristão é livre e não é escravo de ninguém. O cristão, por causa do amor, é servo de todos.

– Não somos superiores a ninguém. Somos apenas pessoas alcançados pela graça de Deus em Cristo que têm a responsabilidade de levar as boas novas de salvação para todos sem exceção. Portanto, nada de preconceitos.

 

– Ao pegar a bacia e a toalha e enxugarmos os pés dos outros, tornamo-nos verdadeiramente humanos como Jesus. O seu caminho é o nosso caminho: a busca de uma nova humanidade redimida.

 

Júlio Borges de Macedo Filho

Sobre Júlio Borges de Macedo Filho

PASTOR JULIO BORGES DE MACEDO FILHO Piauiense de Curimatá, 72 anos com 48 de pastorado, filho de Julio Borges de Macedo e Arquimínia Guerra de Macedo, é o sétimo filho de uma família de onze irmãos. Casou-se, há 48 anos no dia de sua ordenação ao ministério pastoral, com a professora Gislene Rodrigues Lemos de Macedo e tiveram quatro filhos: Juliene, Jusiel (falecido), Julinho e Julian. Agora Deus lhe deu a primeira neta chamada Sarah, de apenas 8 anos. Concluiu o curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, em Recife. Formou-se em 1969 e foi ordenado ao ministério pastoral no dia 22 de fevereiro do mesmo ano. Pastoreou as seguintes igrejas: Igreja Batista do Rio Largo – AL (1969 a 1972), Primeira Igreja Evangélica Batista de Teresina – PI (1972 a 1978), Primeira Igreja Batista de Ilhéus – BA (1978 a 1979), Terceira Igreja Batista do Plano Piloto – Brasília (1979 a 1989), Igreja Batista Noroeste de Brasília (interinamente em 1985), Primeira Igreja Batista de Curimatá – PI (interinamente em 2000), e desde 1989, a Igreja Cristã de Brasília. Tomou a iniciativa para a organização das seguintes igrejas: Primeira Igreja Batista de Picos –PI, Igreja Batista do Lago Norte – Brasília, Igreja Batista Noroeste de Brasília (hoje, Igreja Batista Viva Esperança), e a Igreja Cristã de Brasília. Ordenou cerca de 20 pastores e uma pastora, consagrou dezenas de diáconos e diaconisas por onde passou, e celebrou mais de 500 casamentos. É considerando no Distrito Federal um pastor de pastores. Líder denominacional foi presidente da Convenção Batista Alagoana, da Convenção Batista do DF (três vezes), do Conselho de Pastores Evangélicos dos DF (duas vezes); participou de vários organismos batistas como o Conselho de Planejamento e Coordenação da Convenção Batista Brasileira, das juntas administrativas do Seminário Teológico Batista Equatorial e do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil; e por 20 anos foi professor da Faculdade Teológica Batista de Brasília ensinando as seguintes disciplinas: Estudos de problemas brasileiros, ética cristã, teologia pastoral, teologia contemporânea, ministério urbano, teologia bíblica do Antigo Testamento, e homilética. Como teólogo produziu muitos artigos, teses, e palestras nos mais diferentes lugares, e participou de muitos congressos, seminários, fóruns, retiros, entre eles o Congresso Internacional Lousane II realizado em Manila, Filipinas em 1989. Foi orador de várias assembléias convencionais, e pregou em muitos congressos e igrejas por todo o Brasil. Como poeta e escritor já gestou e publicou cinco livros (Missão da Igreja e responsabilidade social, Voando nas asas da fé, Um sonho coberto de rosas, Suave perfume, e Uma grande mulher), tem quatro prontos para publicação, e está grávidos de mais dez livros que espera escrever e publicar nos próximos oito anos. Na área política assessorou deputado Wasny de Roure, por muitos anos, tanta na CLDF como na Câmara dos Deputados; assessorou por pouco tempo os deputados distritais Peniel Pacheco e Arlete Sampaio; o Ministro da Educação, Cristovam Buarque, como chefe da Assessoria Parlamentar do MEC, e depois assessor parlamentar do Senador Cristovam Buarque. Nesta área produziu muitos escritos sobre os evangélicos e a política, fez inúmeras palestras, promoveu muitos seminários, e foi fundador e coordenador de vários fóruns, entre eles o Fórum Político Religioso do PT, o Fórum Religioso de Diálogo com GDF, o Fórum Cristão do PT Chegou a Brasília em junho de 1969 e, desde então, a elegeu como sua cidade do coração. Agora, aposentado, deseja dedicar-se a apenas duas atividades essenciais: pastorear graciosamente a Igreja Cristã de Brasília e Brasília, e escrever apaixonadamente. Sua grande ênfase ministerial tem sido o amor cristão, a graça maravilhosa de Deus revelada em Jesus Cristo, a responsabilidade social das igrejas e dos cristãos, e o ministério urbano da igreja.