VENHA A NÓS O TEU REINO

Série de sermões no PAI NOSSO (4):

VENHA A NÓS O TEU REINO  – Mateus 6:10a

Julio Borges Filho

Depois de “Santificado seja o Teu nome”, onde somos afetados pela santidade do Pai, vem o coração do Pai Nosso: “Venha a nós o Teu reino, faça-se tua vontade assim na terra como no céu”. Fiquemos hoje apenas a sístole do coração (Venha a nós o Teu Reino), e deixemos para o próximo sermão a diástole (“Faça-se a Tua vontade assim na terra como no céu”).

“Venha a nós o Teu Reino”. O RD é característica de todo o NT. Esta petição abre-nos a porta da vida para a plena realização porque só o Reino de Deus nos satisfaz plenamente. Vejamos o que isso significa para nós e para o mundo em rápidas observações.

REINO DE DEUS X REINOS HUMANOS 

O Reino de Deus é eterno e infinito, os reinos humanos são temporais e finitos – Iaweh = O Eterno, Aquele que é – O Pai é um Rei Eterno e o Seu Reino é também eterno: “Vinde benditos de meu Pai e possuí o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”, declarou Jesus se referindo ao julgamento dinal.

Os reinos humanos passam – A história humana é um cemitério de impérios, já dizia Robinson Cavalcanti. Onde estão os impérios egípcio, assírio, babilônico, persa, grego, romano, etc? Passaram. Humberto de Campos tem uma crônica que ilustra bem a transitoriedade humana. Ele descreve uma multidão imensa nas praças e ruas de uma cidade, e um estranho pergunta: “O que está acontecendo?” Alguém responde: “É Teodoro que passa.” Depois ele descreve outro acontecimento com uma numerosa multidão no cortejo fúnebre. E novamente um estranho aparece perguntando: “Quem morreu?” – “Teodoro morreu”, alguém responde. Assim são os reinos do mundo: vêm e passam.

O Reino de Deus é universal, os reinos humanos são terrenos

O RD engloba tudo e alcança tudo, mesmo que haja áreas usurpadas pelo Diabo e  pelos homens… Daí a oração: “Venha a nós o Teu Reino”

Os reinos humanos são localizados tanto no tempo quanto na história. Têm também uma uma geografia.

O Reino de Deus  é perfeito, os reinos humanos são imperfeitos.

O RD tem ideiais sólidos e eternos: Alegria, paz, justiça, fraternidade, liberdade e amor. São valores que ninguém pode roubar.

Os reinos humanos baseiam-se em leis autoritárias e casuísticas. Cada reino ou governo estabelecem leis de acordo com sua conveniência ou contexto histórico, e tais leis passam porque imperfeitas. Ademais são corruptos.


O REINO DE DEUS NO FILHO 

O Reino de Deus encarnado no Rei 

 Ele é o Rei dos reis – Foi um grande Rei de si mesmo. Reinou sobre o orgulho, o medo, o individualismo, o egoísmo, o ódio, a vingança, a culpa, o desespero, o mau humor… Que o Rei George e a rainha Vitória, da Inglaterra, visitaram o Canadá, foram recepcionados por uma tribo indígena. O cacique Pena Branca, um cristão, cantou o famoso hino “Jesus é melhor” cujo coro afirma: “Podes ser um rei com o poder nas mãos, mas do mal escravo, sim. Mil vezes prefiro o meu Jesus e servi-lo até o fim.” Houve um grande silêncio quebrado pela rainha que disse: “Nós também preferimos Jesus”.

Jesus é um Rei que serve (humilde) – Mt 11:28-30 fala da disputa dos Apóstolos pelos primeiros lugares e da lição fundamental de Jesus: “…quem quiser ser grande, seja servo de todos, porque o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida por resgate de muitos.”  Na entrada triunfal em Jerusalém não foi montado num cavalo, símbolo do poder e da arrogância, mas num jumentinho, símbolo da humildade. Ele não queria ser um rei que domina, manipula e explora seus servos, mas quer o trono interior de cada pessoa promovendo a plena liberdade.

“O meu Reino não é deste mundo” – As famosas palavras de Jesus a Pilatos no seu julgamento não significa que o Reino de Deus não engloba este mundo, mas que não tem a origem corrupta dos reinos terrenos. Começa entronizado nos corações, mas invade tudo. É expansionista. Daí a ordem se se evangelizar o mundo e todos os povos da terra. Onde o RD entra toda cultura é purificada promovendo a fraternidade humana e nunca a dominação. Deus não é capitalista… Também não é socialista na busca de um mundo utópico como realização humana, mas busca a igualdade e a absoluta realização humana. O RD é expandido e alargando com pequenos gestos de amor, e nunca pela força e pelo dinheiro. “Não por força nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos exércitos.” “O Reino de Deus está dentro em voz” – É no coração psíquico dos seres humanos que Jesus deseja ser entronizado. 


VENHA A NÓS O TEU REINO
 

É uma declaração de que só Deus é absoluto. Todos os outros reino devem ter relativizados.

Expressa inconformismo – Nenhum governo humano nos satisfaz por ser fugazes, falsos e passageiros. Só o Reino de Deus nos preenche plenamente. Daí o imperativo paulino em Romanos 12: “Não vos conformeis com este mundo…” A verdadeiro cristão torna-se um anarquista no sentido positivo da palavra.

É viver de acordo com os ideais do Reino – Rm 14:17. A luta por uma sociedade de justiçaAproximar tanto quanto possível as leis dos homens da lei de Deus. Estar sempre ao lado dos pobres e excluídos e nunca ao lado dos poderosos.

A busca de uma sociedade harmoniosa  – “Bem aventurados os pacificadores porque eles serão chamados filhos de Deus”. Evangelizar é isso: Não apenas alcança as pessoas individualmente com a mensagem de Cristo, mas lutar contra os Principados e Potestades, isto é, o mal sistêmico. Os sistemas político, econômico e religioso deve ser evangelizados através de uma voz profética. “Não havendo profecia o povo se corrompe”, afirma o provérbio.

É cultivar e compartilhar a alegria – Eis o segredo do RD: Ele é constituído de uma grande família real: Pai e filhos. Não há classes sociais nem súditos, mesmo com personalidades diferentes. A diversidade promove a unidade. A Igreja seria a maquete do Reino no mundo quando vive isso. “E reinaremos com Ele pelos séculos dos séculos”, afirma o Apocalípse.

Quando oramos “Venha o Teu Reino”, sonhamos com um Reino diferente onde não existem os verbos pagar e ganhar porque nele não se paga nada e nem se ganha nada. Tudo é recebido, é presente, graça.

Quando pedimos “Venha o Teu Reino”, afirmamos o nosso inconformismo com os reinos do mundo, e assumimos a nossa missão de lutar pelos ideais do RD e a sua expansão no mundo.

Quando dizemos “Venha o Teu Reino”, desejamos isso para nós mesmos individualmente (Que o Teu Reino comece em mim), para nossa igreja e para todas as igrejas e agência que promovem o bem na terra.

A oração de Francisco de Assis é uma versão do “Venha o Teu Reino”:

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor;

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

Onde houver discórdia, que eu leve a união;

Onde houver dúvida, que eu leve a fé;

Onde houver erro, que eu leve a verdade;

Onde houver desespero, que eu leve a esperança;

Onde houver tristeza, que eu leve alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado;

compreender, que ser compreendido;

amar, que ser amado.

Pois é dando que se recebe,

é perdoando que se é perdoado,

e é morrendo que se vive

para a Vida Eterna.

Tags: ,
Júlio Borges de Macedo Filho

Sobre Júlio Borges de Macedo Filho

PASTOR JULIO BORGES DE MACEDO FILHO Piauiense de Curimatá, 72 anos com 48 de pastorado, filho de Julio Borges de Macedo e Arquimínia Guerra de Macedo, é o sétimo filho de uma família de onze irmãos. Casou-se, há 48 anos no dia de sua ordenação ao ministério pastoral, com a professora Gislene Rodrigues Lemos de Macedo e tiveram quatro filhos: Juliene, Jusiel (falecido), Julinho e Julian. Agora Deus lhe deu a primeira neta chamada Sarah, de apenas 8 anos. Concluiu o curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, em Recife. Formou-se em 1969 e foi ordenado ao ministério pastoral no dia 22 de fevereiro do mesmo ano. Pastoreou as seguintes igrejas: Igreja Batista do Rio Largo – AL (1969 a 1972), Primeira Igreja Evangélica Batista de Teresina – PI (1972 a 1978), Primeira Igreja Batista de Ilhéus – BA (1978 a 1979), Terceira Igreja Batista do Plano Piloto – Brasília (1979 a 1989), Igreja Batista Noroeste de Brasília (interinamente em 1985), Primeira Igreja Batista de Curimatá – PI (interinamente em 2000), e desde 1989, a Igreja Cristã de Brasília. Tomou a iniciativa para a organização das seguintes igrejas: Primeira Igreja Batista de Picos –PI, Igreja Batista do Lago Norte – Brasília, Igreja Batista Noroeste de Brasília (hoje, Igreja Batista Viva Esperança), e a Igreja Cristã de Brasília. Ordenou cerca de 20 pastores e uma pastora, consagrou dezenas de diáconos e diaconisas por onde passou, e celebrou mais de 500 casamentos. É considerando no Distrito Federal um pastor de pastores. Líder denominacional foi presidente da Convenção Batista Alagoana, da Convenção Batista do DF (três vezes), do Conselho de Pastores Evangélicos dos DF (duas vezes); participou de vários organismos batistas como o Conselho de Planejamento e Coordenação da Convenção Batista Brasileira, das juntas administrativas do Seminário Teológico Batista Equatorial e do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil; e por 20 anos foi professor da Faculdade Teológica Batista de Brasília ensinando as seguintes disciplinas: Estudos de problemas brasileiros, ética cristã, teologia pastoral, teologia contemporânea, ministério urbano, teologia bíblica do Antigo Testamento, e homilética. Como teólogo produziu muitos artigos, teses, e palestras nos mais diferentes lugares, e participou de muitos congressos, seminários, fóruns, retiros, entre eles o Congresso Internacional Lousane II realizado em Manila, Filipinas em 1989. Foi orador de várias assembléias convencionais, e pregou em muitos congressos e igrejas por todo o Brasil. Como poeta e escritor já gestou e publicou cinco livros (Missão da Igreja e responsabilidade social, Voando nas asas da fé, Um sonho coberto de rosas, Suave perfume, e Uma grande mulher), tem quatro prontos para publicação, e está grávidos de mais dez livros que espera escrever e publicar nos próximos oito anos. Na área política assessorou deputado Wasny de Roure, por muitos anos, tanta na CLDF como na Câmara dos Deputados; assessorou por pouco tempo os deputados distritais Peniel Pacheco e Arlete Sampaio; o Ministro da Educação, Cristovam Buarque, como chefe da Assessoria Parlamentar do MEC, e depois assessor parlamentar do Senador Cristovam Buarque. Nesta área produziu muitos escritos sobre os evangélicos e a política, fez inúmeras palestras, promoveu muitos seminários, e foi fundador e coordenador de vários fóruns, entre eles o Fórum Político Religioso do PT, o Fórum Religioso de Diálogo com GDF, o Fórum Cristão do PT Chegou a Brasília em junho de 1969 e, desde então, a elegeu como sua cidade do coração. Agora, aposentado, deseja dedicar-se a apenas duas atividades essenciais: pastorear graciosamente a Igreja Cristã de Brasília e Brasília, e escrever apaixonadamente. Sua grande ênfase ministerial tem sido o amor cristão, a graça maravilhosa de Deus revelada em Jesus Cristo, a responsabilidade social das igrejas e dos cristãos, e o ministério urbano da igreja.