A P A Z E S T E J A C O N V O S C O!

Série de sermões sobre “Paz para a cidade” (2)

                              “A  P A Z  E S T E J A  C O N V O S C O !”  – João 20:19-23

                                                                                                              Julio Borges Filho

INTRODUÇAO

– Era a tarde do primeiro dia da semana, mais tarde, domingo, o Dia do Senhor… E as portas estavam trancadas, e razão era só uma: medo dos judeus… E Jesus veio entrou na casa saudando os seus discípulos: A paz esteja convosco! E alegria encheu seus corações.

– Aquela tarde era a tarde do dia mais alegre vitorioso da história humana… Mas os discípulos estavam derrotados e tristes dentro da casa de portas trancadas. E Jesus veio, “pondo no meio deles”, repetiu: A paz esteja convosco! E eles encontraram um novo sentido para suas vidas…

– Na vida há momentos que nós só nos lembramos da cruz, da dor, do sofrimento, dos infortúnios… Parece que todas as portas foram fechadas. E nos esquecemos que Jesus nos deixou a sua paz: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou…” E mais, deixamos de ver a presença do Cristo ressurreto em nosso meio saudando-nos: A paz esteja convosco! Que esta saudação pascal esteja bem viva em nós.

 I.                   DUPLA SAUDAÇÃO

1.      A saudação ordenária dos judeus

– Jz 19:20

–  2 Sm 18:28

 2.      A saudação dos discípulos

– Lucas 10:5 – Mensageiros da paz… Davam e tiravam a paz para os que não queriam. Possuíam a paz, mas a perderam quando se trancaram com medo. A paz precisa ser usada para ser possuída num exercício contínuo e cotidiano. Não devemos enterrá-la como servos negligentes. É para ser usada e transmitida.

– Na primeira saudação pascal, recuperam a alegria… Na segunda saudação, receberam a  missão…

 

II.                “A PAZ ESTEJA CONVOSCO!” – CURA INTERIOR

 

1.      Começa com a oração fundamental

– Jesus no Getsêmane (Lucas 22:32-46) – A descrição de Lucas, que era médico, revela uma dor atroz. Sócrates tomou a sicuta (o venero), descreve Platão, calmamente. Jesus no Getsêmane angustiou-se. Qual a diferença entre os dois? Sócrates, como um estóico, acomodou-se à situação de morte. Jesus carrega o pecado do mundo inteiro. Toda a violência, angústia, sofrimento e dores do mundo caiu sobre Ele. Por isso a sua oração foi a fundamental: conformar-se com a vontade do Pai (“Pai, se queres, afasta de mim este cálice! Contudo, não a minha vontade, mas a Tua seja feita!”). É como se o Filho de Deus se tornasse enfermo como homem ao levar sobre si todas as nossas enfermidades, e se curasse na vontade soberana de Deus. Por isso disse a seus discípulos: Levantai-vos!. Vigiai e orai para que não entreis em tentação”. A tentação principal é a acomodação e o medo que nos levam à derrota diante do inimigo. O Filho de Deus estava preparado para seu sofrimento vicário.

 

2.      Continua com a vida em comum – A igreja como comunidade terapêutica onde há cura para as enfermidades interiores: perdão para os pecadores, comunhão para os solitários, alegria para os tristes, e a vivência do novo mandamento e da Lei da Mutualidade para todos.

 

III.             “A PAZ ESTEJA CONVOSCO!” – A MISSÃO NO MUNDO

 

1.      Somos enviados (missionários) ao mundo das necessidade humanas.

– Posições cristãs na história: 1ª) A posição monástica – O cristão não é do mundo e deve fugir do mundo para contemplar a face de Deus; 2ª) A posição do protestantismo tradicional – O cristão não do mundo mas está no mundo (monasticismo intra-mundo); 3ª) A posição liberal – O cristão está no mundo para salvar o mundo.

Síntese: O cristão não é do mundo, mas está no mundo para salvar o mundo.

 

2.      Somos continuadores da missão redentora de Jesus Cristo

– O processo de encarnação continua na história: a igreja é o corpo de Cristo.

– Nossa missão é moldada na missão de Cristo. Ele é a nossa identidade e nossa mensagem.

 

3.      O método e o poder são os mesmos:

o método de servir e de amar até os limites extremos.

– O poder do Espírito Santo – “…soprou sobre eles e lhes disse: Recebei o Espírito Santo”. Para o quarto evangelho o Pentecostes começou ali para os líderes da igreja. Deu-lhe o poder de perdoar e não perdoar, de salvar e condenar. Deu-lhes as chaves do céu e o poder de semear a paz.

 

CONCLUSÃO

– A paz esteja convosco! Como espalhá-la pela cidade se não a temos? Esta paz, que excede todo entendimento, é paz interior e comunitária. Inclui a luta por justiça social. É isso que significa em hebraico a palavra shalom = paz com justiça social. E para não perde-la, temos de compartilhá-la. É como o maná no deserto para os israelitas. Guardá-lo para o dia seguinte era perde-lo.

 

– A Oração de Francisco de Assis

Senhor, faze de mim instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, Faze que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

 

– Saudemo-nos uns aos outros duplamente como o fez o Cristo ressurreto: A paz esteja convosco!… E recebamos a cura interior. A paz esteja convosco!… E recebamos a missão: “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio”.

Júlio Borges de Macedo Filho

Sobre Júlio Borges de Macedo Filho

PASTOR JULIO BORGES DE MACEDO FILHO Piauiense de Curimatá, 72 anos com 48 de pastorado, filho de Julio Borges de Macedo e Arquimínia Guerra de Macedo, é o sétimo filho de uma família de onze irmãos. Casou-se, há 48 anos no dia de sua ordenação ao ministério pastoral, com a professora Gislene Rodrigues Lemos de Macedo e tiveram quatro filhos: Juliene, Jusiel (falecido), Julinho e Julian. Agora Deus lhe deu a primeira neta chamada Sarah, de apenas 8 anos. Concluiu o curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, em Recife. Formou-se em 1969 e foi ordenado ao ministério pastoral no dia 22 de fevereiro do mesmo ano. Pastoreou as seguintes igrejas: Igreja Batista do Rio Largo – AL (1969 a 1972), Primeira Igreja Evangélica Batista de Teresina – PI (1972 a 1978), Primeira Igreja Batista de Ilhéus – BA (1978 a 1979), Terceira Igreja Batista do Plano Piloto – Brasília (1979 a 1989), Igreja Batista Noroeste de Brasília (interinamente em 1985), Primeira Igreja Batista de Curimatá – PI (interinamente em 2000), e desde 1989, a Igreja Cristã de Brasília. Tomou a iniciativa para a organização das seguintes igrejas: Primeira Igreja Batista de Picos –PI, Igreja Batista do Lago Norte – Brasília, Igreja Batista Noroeste de Brasília (hoje, Igreja Batista Viva Esperança), e a Igreja Cristã de Brasília. Ordenou cerca de 20 pastores e uma pastora, consagrou dezenas de diáconos e diaconisas por onde passou, e celebrou mais de 500 casamentos. É considerando no Distrito Federal um pastor de pastores. Líder denominacional foi presidente da Convenção Batista Alagoana, da Convenção Batista do DF (três vezes), do Conselho de Pastores Evangélicos dos DF (duas vezes); participou de vários organismos batistas como o Conselho de Planejamento e Coordenação da Convenção Batista Brasileira, das juntas administrativas do Seminário Teológico Batista Equatorial e do Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil; e por 20 anos foi professor da Faculdade Teológica Batista de Brasília ensinando as seguintes disciplinas: Estudos de problemas brasileiros, ética cristã, teologia pastoral, teologia contemporânea, ministério urbano, teologia bíblica do Antigo Testamento, e homilética. Como teólogo produziu muitos artigos, teses, e palestras nos mais diferentes lugares, e participou de muitos congressos, seminários, fóruns, retiros, entre eles o Congresso Internacional Lousane II realizado em Manila, Filipinas em 1989. Foi orador de várias assembléias convencionais, e pregou em muitos congressos e igrejas por todo o Brasil. Como poeta e escritor já gestou e publicou cinco livros (Missão da Igreja e responsabilidade social, Voando nas asas da fé, Um sonho coberto de rosas, Suave perfume, e Uma grande mulher), tem quatro prontos para publicação, e está grávidos de mais dez livros que espera escrever e publicar nos próximos oito anos. Na área política assessorou deputado Wasny de Roure, por muitos anos, tanta na CLDF como na Câmara dos Deputados; assessorou por pouco tempo os deputados distritais Peniel Pacheco e Arlete Sampaio; o Ministro da Educação, Cristovam Buarque, como chefe da Assessoria Parlamentar do MEC, e depois assessor parlamentar do Senador Cristovam Buarque. Nesta área produziu muitos escritos sobre os evangélicos e a política, fez inúmeras palestras, promoveu muitos seminários, e foi fundador e coordenador de vários fóruns, entre eles o Fórum Político Religioso do PT, o Fórum Religioso de Diálogo com GDF, o Fórum Cristão do PT Chegou a Brasília em junho de 1969 e, desde então, a elegeu como sua cidade do coração. Agora, aposentado, deseja dedicar-se a apenas duas atividades essenciais: pastorear graciosamente a Igreja Cristã de Brasília e Brasília, e escrever apaixonadamente. Sua grande ênfase ministerial tem sido o amor cristão, a graça maravilhosa de Deus revelada em Jesus Cristo, a responsabilidade social das igrejas e dos cristãos, e o ministério urbano da igreja.